Carlos  A Quartieri

 

 

 

Carlos A Quartieri,
Natural de São Paulo, capital.
Tenho 48 anos, tendo nascido em 18 Setembro, próximo ao dia que inicia a mais bela estação do ano a primavera.
Mês que minha amiga e poeta  Simone Borba Pinheiro,
tem as maiores inspirações, já comentei  isso á ela, claro sem desmerecer seus textos, todos maravilhosos.
Pai de 2 filhos apaixonantes, Marcelo, com 17 e André com 15 anos.
Casado por 20 anos de uma convivência de 30 anos
bem vividos e apaixonados!
Formado em Economia pelo Mackenzie, pós graduado em Análise de Sistemas pela FAAP.


Coração
Ja©k Daniel's®


Tenho um coração que teima em amar,
Que a felicidade busca encontrar

Tenho um coração que sonha,
Que acredita em tudo, me fazendo sonhar.

Tenho um coração que dói na solidão, da tua presença
Que mesmo sofrido, vive de emoções.
Tenho um coração que não deixa de bater,
Porque, sabe que amar não é sofrer, mas se envolver
Tenho um coração ciumento que às vezes se descontrola e briga, machuca e é machucado.
Mesmo ferido tem sentimentos puros.

Tenho um coração que é pura emoção,
E que sofre e chora quando tem que dizer "não".
Tenho um coração que acredita que o amor tem que ser compartilhar,
Porque não há nada melhor que amar e ser amado.


Tenho um coração que é valente e forte,
E que guarda fielmente segredos até a morte.
Tenho um coração que não sabe seu destino,
E que às vezes traz alegrias, outras tristezas.

Tenho um coração com muitas promessas e planos,
Mas sei que tudo acontece na hora certa e no decorrer dos anos.
Tenho um coração que cultiva a cumplicidade,
Porque é o que mais importa no amor e na amizade.
Tenho um coração que do passado guarda muitos momentos,

E que lembra somente dos bons sentimentos.

Tenho um coração que sabe que amor e ódio são muito próximos,
Mas que é muito melhor amar do que alimentar o ódio.
Tenho um coração que curte a intensidade,
Porque quando ama, se entrega de verdade.
Tenho um coração que cultiva muitas ilusões,
Mesmo assim, acredita em loucas paixões.

Tenho um coração que sofre com a distância e a saudade,
E acredita que para um grande amor não tem idade.
Tenho um coração vivido,
Mas que cisma com alguém em ser compartilhado.


Tenho um coração que não tem nada de perfeição,
Mas que procura tratar tudo com amor e compreensão.
Tenho um coração que para o amor tudo é capaz.
E luta por um mundo de harmonia e paz.

Tenho um coração que sorri a cada amanhecer,
E quando anoitece, reza para agradecer.
Tenho um coração com muitas incertezas,
Mas que encara tudo com a mais pura delicadeza.

Tenho um coração que tem muito para aprender,
Mas que ao errar, não tem vergonha de se arrepender.
Tenho um coração que para tudo tem que ser recíproco, E por isso tem que ser correspondido.

Tenho um coração que precisa de um ombro para chorar,
Mas que não se importa de dar o seu para alguém se consolar.
Tenho um coração que sonha com a felicidade,
E sabe que o amor e a amizade são para a eternidade.

Tenho um coração que tem muito amor para dar,
Mas que precisa um alguém encontrar.
Tenho um coração que deixa de lado a dor,
Que busca incansável um verdadeiro amor.
09/2003

CREIO EM MIM


Eu, que comi a casca
por não merecer a polpa.

Eu, que criei a culpa
e me escondi atrás de sua máscara.

Que me esbofeteei me disse
os mais obscenos insultos.

Eu, que neguei dar-me indultos,
condenando-me a estar triste.

Eu, que suicidei minha aspiração,
para lograr ser querido.

Que eniminizei comigo mesmo,
truncando todos meus vôos.

Eu, que me esculpi no rosto,
abusando de mim mesmo.

Eu, que cedi ao cinismo,
machucando a quem me amara.

Eu, exigente e desapiedado
com nada como comigo.

Eu, meu mais cruel inimigo,
meu juiz e meu sentenciador...

Me levantei esta manhã,
cansado de não me querer.

De me apagar, me obscurecer,
de que minha luz não brilhará.

Vi no espelho meus olhos,
olhando-me em meu olhar,

Tantas vezes empanado
por olhar-me com nojo.

E me dei ternura e vi,
nesse rosto cansado,
que me observava estranhamente,
o beleza que eu fui...

Me vi ante os que têm sofrido,
amparando o desamparo.

Me vi austero, mas honrado,
me vi nobre, me vi erguido.

Me vi alentando ao formoso,
me vi curando feridas.

Me vi sempre agradecido,
sincero, ingênuo e gozoso.

E vi vencendo o abismo,
sem mancha, nem cicatriz.

E quis me fazer feliz,
honrando que sou eu mesmo...

Que sou franco, solidário,
que sou leal e confiável,
que quando embainhei meu sabre,
apostei no humanitário...

Sem malsã auto-compaixão,
fui piedoso ante a minha pena.

Levantei minha condenação,
como o que amando se ama.

Apreciei o valor de tudo,
pesei o erro e o acerto,
sempre elegi estar desperto,
sem submergir-me no lodo.

E olhando meu olhar,
me pedi perdão, e quis
valorizar tudo quanto disse
sem reprovar-me de nada...

...Deixar-me ser, sem podar-me...
jardineiro de mim mesmo,
porque não é egocentrismo

abrir minha essência

e mostrar-me...

Vir a ser e isso decido,
estar disposto a abrir-me à vida...

E basta de tanta ferida,
sendo eu o mutilador e o mutilado.

Por tudo o que vivi,
a partir deste momento,
já conto comigo, e sinto
que finalmente!

EU CREIO EM MIM!

Out /2003


Olhos do ©ora©ão

Alguma coisa de especial desde o início entre nos...
Embora a grande distância que nos separava,
As palavras surgiram diante dos meus olhos
e conquistaram meu coração
assim como de surpresa.
Dividimos momentos, trocamos confidências,
que só a deus fariamos ,rimos e choramos juntos .
Parecia que tudo era tao pequeno para se esconder.
Abrimos o coração um para outro
com tanta facilidade e felicidade.
Pensavamos e escreviamos as mesmas
palavras, com espanto na alma
perplexidade no olhar,
e alegria no coração.
tinhamos as músicas
e um bom jack a nos acompanhar
Como pode acontecer ? como tudo começou ?
As respostas estavam acima dos céus e graças ,
e como fomos agraciados
pelo sol, lua, pela magia e músicas,
pessoas paravam para nos ouvir,
rir compartilhar nossa alegria contagiante
que nem conseguiamos disfarçar.
Sinto falta desses momentos,
sinto sua falta
Preciso te tocar,
preciso te sentir ,
preciso do seus beijos,
te possuir
te sentir mulher.
Espero um dia possamos voltar a sentir tudo isso...

 

 

Art:  Nadir A D'Onofrio
Mid Sampa
Respeite os Direitos Autorais